WA [Japão] – SUMÔ

Sumô

“Hakkeyoi, nokotta”! O gyoji (árbitro) vestido com seu belo traje sinaliza o início de uma luta intensa entre dois lutadores de sumô. O cenário está montado perfeitamente, com o teto suspenso sobre o dohyo (arena) e pronto para mostrar os rituais únicos da cerimônia de entrada na arena e a dança do arco. Em um Honbasho (torneio de sumô), há muito mais a ser apreciado do que simplesmente assistir uma luta.

Conhecido como o esporte nacional do Japão, o sumô remonta à era da mitologia. O nome sumô origina-se da antiga palavra “sumahi” que significa “batalha”. Nos livros “Kojiki” (Registros de Assuntos Antigos) e “Nihon Shoki” (Crônicas do Japão), escritos em torno de 720 a.C., o termo “sumahi” é usado para descrever competições de força entre os deuses.

Durante o Período Heian (794 ~), foram enviados mensageiros em todo o país para reunir as “pessoas sumahi” (lutadores de sumô) para entreter a nobreza e o imperador. Após as lutas, eram oferecidos grandes banquetes. O sumahi continuou como um evento da corte durante 400 anos, enquanto evoluía lentamente para o sumô na forma como conhecemos hoje.

Na época dos samurais, entre o Período Kamakura (1185 ~) e o Período Azuchi-Momoyama (1573 ~), os “shoguns” (antigo título militar) e senhores feudais passaram a se interessar pelas lutas de sumô, reuniam os lutadores e assistiam às competições. Dentre eles, o grande guerreiro Oda Nobunaga tinha especial apreciação pelo sumô e convidava lutadores de todo o Japão para lutar no Castelo Azuchi em Omi. Além disso, sabe-se que os lutadores mais fortes eram recebidos no castelo como seus vassalos.

O sumô tornou-se um entretenimento de bilheteria quando passou a cobrar taxas de entrada do público, que teve início durante o Período Muromachi (1336 ~). Em meados do Período Edo (Século XVIII), diferentes grupos de sumô que se apresentavam de forma independente, passaram a se reunir. Esta reunião criou a estrutura básica do que viria a se tornar o lutador profissional de sumô, com seis torneios Honbasho programados por ano. A popularidade do sumô cresceu rapidamente com a ascensão de grandes lutadores como Onogawa Kisaburo e Tanikaze Kajinosuke, os primeiros Yokozuna. Juntamente com o kabuki (teatro japonês), o sumô tornou-se um entretenimento popular no Período Edo.

Ao longo de sua história, o sumô gradualmente tomou a forma de esporte e tornou-se parte da cultura tradicional do Japão. Hoje, no equilíbrio entre a tradição e a inovação, o sumô ainda continua a fascinar os fãs no Japão e no mundo.

Ryogoku Kokugikan

O coração do sumô

Seis torneios de sumô chamados “Honbasho” são realizados a cada ano. Três deles (o “Basho” de janeiro, maio e setembro) são realizados em Tóquio, no Ryogoku Kokugikan, na saída oeste da Estação JR Ryogoku. Bandeiras coloridas com os nomes dos lutadores de sumô enchem as ruas durante o torneio, criando um ambiente especial, próprio da cidade do sumô. O portão de entrada para a arena é a primeira atração quando visitamos o Ryogoku Kokugikan. Os mestres, que eram lutadores famosos no passado, são os responsáveis pela coleta dos ingressos e, portanto, há grandes chances de encontrá-los logo na entrada. Entrando no salão, o visitante sente-se completamente envolvido pelo mundo do sumô quando passa pelo corredor com 20 estandes de informações, onde geralmente circulam os arrumadores vestidos de hakama (traje típico japonês) e senhoras vestidas de quimono. No primeiro andar do Kokugikan, está o Museu do Sumô, que dispõe de uma coleção abundante de artefatos de sumô, como xilogravuras, banzuke (gráficos de ranking) e kesho mawashi (aventais ornamentais usados por Yokozuna).

Noções básicas de sumô

As regras de sumô são simples. Dois lutadores se enfrentam no ringue, até que o vencedor derrube o adversário ou empurre-o para fora, enquanto o gyoji arbitra a luta. Quando o competidor comete uma falta, como agarrar o adversário ou puxar os seus cabelos intencionalmente , ele automaticamente perde a luta. Os torneios chamados “Honbasho” duram 15 dias e são realizados seis vezes ao ano. Os competidores participam de uma luta por dia e o lutador com mais vitórias será o campeão. A lista oficial com o ranking dos lutadores é chamada de “banzuke”. O ranking é divido em dez categorias, desde Jonokuchi na base da classificação até Yokozuna no topo. Pode-se dizer que o banzuke é tudo no sumô, pois o ranking representa o salário de cada lutador e os privilégios a que tem direito. Somente os lutadores que chegam ao Sandanme (terceiro nível) podem usar sandálias com solado de couro e apenas os que estão em categorias superiores ao Juryo podem usar o traje formal, o haori hakama. A promoção e o rebaixamento nos rankings são determinados na conferência do banzuke, realizada ao final de cada torneio. Basicamente, a classificação de um lutador sobe quando ele vence oito ou mais lutas durante um torneio, e desce quando há menos de 7 vitórias ou mais derrotas. Tradicionalmente não há lutas realizadas entre membros do mesmo clube ou entre irmãos. Esta prática tem origem na compaixão samurai, um pensamento profundamente enraizado de que um confronto como este traria grande sofrimento para ambas as partes. wa_vol02_03_pt-br.png

82 formas de ganhar uma luta de sumô

O golpe determinante para vencer uma luta de sumô é chamado kimarite. Existem atualmente 82 kimarite, dos quais o mais utilizado é o yorikiri, seguido por oshidashi, que são considerados golpes básicos de kimarite. Por exemplo, durante o Hatsu Basho de 2015 (torneio de janeiro), nas lutas das categorias superiores (Makuuchi), quase metade dos kimarite foram os golpes yorikiri e oshidashi. Outros golpes bastante utilizados são o sokubi otoshi, onde o adversário é derrubado por cima do pescoço, ou o tsumadori, onde o pé do adversário é puxado para trás a fim de derrubá-lo.

wa_vol02_04_pt-br.png

Curiosidades do sumô

1. Apenas homens podem ser lutadores de sumô. Não se permite mulheres

Para se tornar um lutador de sumô, é preciso atender a três requisitos para ser aceito como um shin-deshi (novo aprendiz): 1) Ser um homem com idade inferior a 23 anos e ter concluído o ensino obrigatório. 2) Ter altura mínima de 173 centímetros. 3) Ter peso mínimo de 75 kg. Está documentado nas regras do sumô que “os lutadores são restritos ao sexo masculino”.

2. As “aberturas” são uma parte importante do treinamento para se tornar um lutador forte.

A coisa mais importante para um lutador de sumô é treinar o seu corpo para que se torne flexível e evitar lesões. Como parte desta rotina, eles praticam as “aberturas”, esticando as pernas para esquerda e direita. Os lutadores que completam o treinamento são capazes de abrir as pernas a 180 graus e simultaneamente tocar o torso e o queixo no chão. Os novatos praticam na sala de treinamento de sumô do Kokugikan durante seis meses para aprender o básico, incluindo as aberturas.

3. Ryogoku is filled with restaurants that specialize in chanko nabe, a sumo wrestlers cuisine.

O chanko nabe é um prato típido dos lutadores de sumô. É um ensopado com verduras e legumes da estação, peixe ou frango, que são cozidos em uma panela enorme e servidos com molhos como o ponzu. Em Ryogoku, onde se originou o chanko nabe, existem muitos restaurantes especializados na culinária típica.

wa_sumo_05.png
wa_sumo_06.png
wa_sumo_07.png

4. Jogar sal antes de uma luta para purificar.

Os lutadores de sumô jogam sal antes de uma luta. Esta prática começou como um ritual para purificar o dohyo (arena), que é considerado um lugar sagrado. Durante o Honbasho, são utilizados cerca de 45 quilos de sal por dia, totalizando mais de 650 kg ao final do torneio. Apenas os lutadores que chegam à categoria Makushita podem jogar o sal e somente quando há tempo suficiente.

5. Os lutadores de sumô recebem salários.

Apenas os lutadores de sumô em categorias superiores ao Juryo são assalariados. As categorias inferiores ao Makushita recebem um subsídio para cada Basho. O salário base de um Yokozuna é 2,82 milhões de ienes por mês e o abono de um Makushita é de 150.000 ienes por Basho. Há também prêmios em dinheiro e, quanto mais lutas um atleta vence, mais prêmios ele pode ganhar.

6. O banner Man-in Onrei (casa cheia) é exibido de acordo com a venda de bilhetes.

No banner sobre o telhado suspenso, lê-se “Man-in Onrei”, que significa que a casa está cheia (veja a foto superior na página anterior). Este banner é baixado depois que terminam as lutas da categoria Juryo, no momento em que soam os “ki” (matracas) sinalizando o início das lutas da categoria Makuuchi. Diz-se que este banner só é exibido quando mais de 80% dos ingressos do dia são vendidos até às 15:00.

Página principal